Welcome to my blog :)

rss

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Porque não?


Nós dois juntos por que não? Não me passa pela cabeça como nós dois não possamos dar certo. Tu queres uma vida cheia de liberdade, e eu apenas te quero. Difícil compreender, se já ficou tão claro teu sentimento por mim, e o meu por ti e mesmo assim não conseguir levar uma vida a dois, tão linda quanto eu já imaginei. Eu sei que muito já me precipitei em relação a nós dois, mas quem ama quer por perto, e me dói saber que por nada, o nosso contato, o nosso carinho tenha se perdido. Sinceramente, não há vestígios que me façam entender o porquê de tudo isso. Tu um cara que eu curto, aprendi a amar e hoje a vida me prega uma peça dessas, estranho... é isso é muito estranho. Das nossas variadas tentativas que pareciam dar certo e nos estereotipávamos felizes, todas vieram em devaneios nada condizentes com o que eu sentia por ti e vice e versa. E volta e meia, lá estava eu triste, procurando saber e entender o porquê daquele final tão repentino.Eu ainda insisto em te conhecer mais, teu silêncio me agride, me incomoda, e eu fico novamente sem respostas sobre ti. Minhas insistências algumas sem respostas me levam a crer que, logo tu não estas nem mais ai, então de repente, surges tu, novamente para me fazer feliz e então procurar novamente o sentido desse amor que nos nutre. Posso ou já pareci chata, por insistir e ainda querer arrancar motivos que justifiquem a maldita falta que tu me faz, mas isso é sem minha permissão, é involuntário, é o cérebro mandando e o coração correspondendo.E então a gente dança, dança e não para de dançar conforme a música, que parece que essa jogada de dancinhas jamais terá o seu fim, mas é amor, e enquanto eu continuo insistindo eu vou tentando. Parece tão fora do normal o jeito como nós encaramos um ao outro, é o silêncio, o passar na rua e desconhecer e mais essa implosão de sentimentos aqui, dentro de mim. Mas logo vejo que nós dois não somos os únicos a encarar o amor dessa maneira, são muitos. O meu amor, por mais balançado que fique, por mais que judiem não deixa de ser amor, e eu sei que quando tu ousar em me procurar eu já vou estar ali na tua espera.É parece uma eterna espera, e talvez seja, mas mesmo assim eu ainda insisto e creio na idéia que ainda nós vamos ser dois ou um só, mas enquanto essa nossa futura dualidade não prospera, eu sigo meu caminho, tu segues o teu e quem sabe novamente e repetidamente eles voltem a se cruzar, e a partir desse nobre motivo o meu amor volte a gritar o quanto é bom te ter e te amar.




(créditos a minha amiga Débora Haertel que descreveu um pouco da minha história de amor, diante de tudo que eu sempre contava pra ela, ficou lindo demais. Muito obrigada)

0 comentários:

Postar um comentário